Instalando Arch Linux 2013.01.04

qui 07 fevereiro 2013

UPDATE: Parti para outra. Instalei o Ubuntu no desktop e o Manjaro no meu netbook. Se estiver procurando uma distribuição leve, compatível com o Arch Linux e que já vem com uma interface gráfica, olhe meu post abaixo:
http://umcarneiro.blogspot.com.br/2013/08/manjaro-um-arch-linux-para-iniciantes.html

Hoje resolvi fazer mais uma instalação do Arch Linux, desta vez em um desktop.

Na verdade, minha intenção inicial era instalar o Linux Mint XFCE 14 64bits, mas ele travou na tela "Autobooting in 10 seconds" e não saia disso. Então, parti para o Arch Linux, a distribuição "faça você mesmo".

Baixei a versão 2013.01.04, fresquinha do site. Eu tinha acabado de colocar o DVD de instalação do Linux Mint 14 no meu notebook (para ver se o problema era na mídia), então acabei baixando o Arch por lá, usando o "Transmission", que é um cliente de torrent que estava ali disponível.

Essa instalação, então, vai ser diferente da outra que eu fiz, então o nome completo desse post poderia ser:

Instalando Arch Linux 2013.01.04 em um Desktop usando o Linux Mint xfce 14 como apoio.

  1. Baixe o Arch Linux do endereco:
  2. - O link aponta para um arquivo .torrent, que você pode abrir diretamente no Transmission (programa padrão que o Mint indicou) - No Transmission, defina o diretório de destino e aguarde o download completar.
  3. Coloque um pendrive (1 GB serve) no computador e verifique que dispositivo ele está usando:
    • abra um terminal (Menu -\> Terminal Emulator)
    • digite lsblk (enter)
    • O Mint (como o Ubuntu e outros) monta automaticamente o pendrive em uma pasta com o nome /media/mint/LABEL, onde LABEL é o nome que você deu ao pendrive quando o formatou.
    • Na lista gerada pelo comando lsblk, procure a linha com o nome do seu pendrive e repare à esquerda qual o dispositivo (algo como sdx1).
    • No meu, tinha uma linha assim:
    • - |- sdb1    8:17   1  963.6M   0  part  /media/mint/BRANCO - Isso quer dizer que o meu pendrive, que chamei de BRANCO, está na particao 1 do dispositivo "sdb".
  4. Copie o arquivo .iso do Arch para o pendrive utilizando o comando dd:
  5. - ATENÇÃO! Cuidado com o comando "dd"! Preste atenção principalmente no que você digita no parametro "of=" - sudo dd bs=4M if=/caminho/arquivo.iso of=/dev/sdx - O "sudo" te dá poder para executar o dd. O "dd" copia dados de um dispositivo para outro. "bs=4M" serve para acelerar a cópia. "if=" indica o arquivo de origem. Se você baixou o arquivo na pasta default de downloads do Mint, fica "if=/home/mint/Downloads/archlinux-2013.01.04-dual.iso". "of=" indica o destino. Se seu pendrive é o dispositivo sdb (como o meu), fica "of=/dev/sdb". - A cópia pode demorar uns 5 minutos (dependendo da velocidade do pendrive, principalmente).
  6. Coloque o pendrive na maquina em que quer instalar o Arch e inicie o computador por ele.
  7. - Algumas máquinas são mais fáceis de dar boot pelo pendrive que outras. Na minha, tive que entrar no setup da BIOS (apertando DEL durante a inicialização) e mudar primeiro a ordem de prioridade dos HDs (minha máquina entendeu o pendrive como um HD) e depois a ordem do boot.  - em algumas máquinas, basta voce apertar Esc no inicio e escolher em um menu a opção de ordem de boot. 
  8. No menu de inicialização do Arch, escolha a opção padrão "Boot Arch Linux (x86\_64)" .
  9. Carregue a configuração de teclado brasileiro:
  10. - `loadkeys br-abnt2 `
  11. Identifique o HD em que deseja instalar o Arch:
  12. - lsblk - Você vai ver uma linha que contem "/run/archiso/bootmnt". Este é o seu pendrive agora (no meu ele ficou na sdb1 de novo). No meu caso, o HD da maquina eu vi que era a sda pelo tamanho das particoes. Meu HD tem 250GB. O único dispositivo com tamanho parecido ("232.9G") é o sda, então sda é o HD.
  13. Particione o seu HD usando o cfdisk
  14. - cfdisk /dev/sdx - (no meu caso, /dev/sda) - Dessa vez, criei uma partição só para os 250GB, com o tipo 82 (Linux)
  15. Formate o HD
  16. - mkfs.ext4 /dev/sda1 - Se quiser dar um nome para o HD, você pode usar a opção -L no mkfs ou o comando e2label: - e2label /dev/sda1 ARCH\_HD - (isso chama a primeira partição do dispositivo sda de "ARCH\_HD")
  17. Monte a sua partição
  18. - mount /dev/sda1 /mnt/
  19. Conecte-se à internet:
  20. - minha maquina tem uma placa wireless, então me conectei por ela: - wifi-menu
  21. Instale a base do sistema operacional:
  22. - pacstrap /mnt base - Esse passo é o mais demorado (pode levar 30 minutos ou mais)
  23. Instale o gerenciador de boot:
  24. - pacstrap /mnt syslinux - Acho que dava para ter instalado junto com o passo anterior, em um comando só, mas é rapidinho.
  25. Instale os pacotes necessários para o uso da rede wi-fi:
  26. - pacstrap /mnt wireless\_tools wpa\_supplicant wpa\_actiond dialog
  27. Configure a montagem automática dos seus discos:
  28. - genfstab -p -L /mnt \>\> /mnt/etc/fstab - Isso só cria o arquivo que vai ser /etc/fstab que você pode criar de outra forma, se souber como formatar o arquivo
  29. Acesse seu novo sistema operacional:
  30. - arch-chroot /mnt
  31. Dê um nome para seu computador:
  32. - echo ARCH\_SERVER \>\> /etc/hostname
  33. Ajuste o fuso horário:
  34. - ln -s /usr/share/zoneinfo/America/Sao\_Paulo /etc/localtime
  35. Ajuste o idioma:
    • Guarde o arquivo original de configuração:
    • cp /etc/locale.gen /etc/locale.gen.old
    • Para inglês, use:
    • - echo LANG=\\"en\_US.UTF-8\\" \>\> /etc/locale.conf
    • Para português, use:
    • - echo LANG=\\"pt\_BR.UTF-8\\" \>\> /etc/locale.conf
    • Para as duas línguas, execute também o seguinte:
    • - echo pt\_BR.UTF-8 UTF-8 \>\> /etc/locale.gen - echo en\_US.UTF-8 UTF-8 \>\> /etc/locale.gen - locale-gen - Você deve ver o computador gerando duas configurações de localidade (locale): pt\_BR.UTF-8 (português do Brasil) e en\_US.UTF-8 (inglês dos Estados Unidos) .
  36. Crie a imagem inicial do sistema:
  37. - mkinitcpio -p linux
  38. Configure o syslinux (gerenciador de boot):
  39. - nano /boot/syslinux/syslinux.cfg - Altere a primeira linha que tem um APPEND para: - APPEND root=/dev/sda1 ro - Se você criou mais de uma partição, coloque o nome da partição root (/) 
  40. Instale o syslinux na partição inicial do HD:
  41. - syslinux-install\_update -iam
  42. Defina a senha de root:
  43. - passwd
  44. Saia do chroot
  45. - exit
  46. Desligue o computador
  47. - halt - O meu computador não quis desligar, então forcei o desligamento segurando o botão On/Off por alguns segundos
  48. Tire o pendrive e ligue de novo o computador
  49. Escolha a primeira opcao do boot (arch) e entre com o usuario root e a senha que você definiu.

Eu achei essa instalação inicial (crua) mais fácil de fazer com a versão 2013.01.04 do que com a 2012.09.07.

Uma coisa que facilitou foi não ter precisado configurar o syslinux inicialmente. Isso se deve mais por eu ter usado o dd no Linux Mint ao invés do UNetBootin no Windows para copiar a imagem no pendrive.
Outra coisa que eu simplifiquei da outra vez para essa foi o particionamento. Dessa vez eu coloquei uma partição só para tudo. No Windows a gente costuma criar os drives C: (para o Sistema Operacional) e D: (para nossos dados), mas no Linux você pode separar inclusive as partições usadas pelo Sistema e já vi todo tipo de recomendação. A máquina que eu estava montando não ia ter muitos dados pessoais, era mais para trabalho usando um repositório de arquivos centralizado, então achei melhor jogar tudo em uma partição só e simplificar a instalação.
Ainda não consegui ir muito mais longe do que isso, então aguardem novos posts sobre o assunto.
Att.,
Otávio
**UPDATE: **Instalei o Manjaro no meu netbook. Se estiver procurando uma distribuição leve, compatível com o Arch Linux e que já vem com uma interface gráfica, olhe meu post abaixo:

Comentários